CIA usou campanha de vacinação como fachada para a espionagem

Washington, 20 mai (Prensa Latina)

A Agência Central de Inteligência (CIA) utilizou uma suposta campanha de vacinação como fachada de operações de espionagem no Paquistão, o que prejudicou a reputação de organizações humanitárias, informou hoje o diário The Washington Post.

Três anos após a agência de espionagem utilizar um programa de imunização como fachada na busca de informação para a captura de Osama bin Laden, a assistente do presidente Barack Obama para segurança interior e antiterrorismo, Lisa Moncayo, prometeu que essas ações não se repetirão no futuro.

Moncayo fez essa promessa ao responder uma carta enviada à Casa Branca por decanos de 12 escolas públicas de saúde, que expressaram que "o uso de uma atividade humanitária para encobrir missões de espionagem provocou sérias consequências aos trabalhadores da área de saúde a nível global".

Os diretores de tais centros de ensino protestaram pelo fato da CIA ter utilizado o cirurgião pakistanês Shakil Afridi para colher informações a respeito de bin Laden sob a fachada de uma campanha de imunização em áreas periféricas, local onde foi assassinado o líder da organização extremista al Qaeda em 2011.

No entanto, a missão encarregada ao médico fracassou e Afridi foi acusado de traição pelos tribunais pakistaneses e condenado a 23 anos de prisão, destaca o diário.

Organizações internacionais humanitárias no Paquistão viram-se obrigadas a abandonar esse país e alguns de seus funcionários foram mortos por ações violentas de grupos armados que perceberam suas atividades como tarefas de interesse dos serviços de inteligência estadunidenses, acrescenta o Post.

Júri da Consciência

Eventos

Publicações

FacebookTwitterLinkedinRSS Feed

Apoiadores

Desenvolvido por Eagle - Tecnologia e Design